Vamos nesta postagem falar um pouco do Programa Minha Casa Minha Vida. Durante anos havia alguns programas para fomentar a compra de imóvel, porém o enquadramento de renda e os juros estipulados por alguns bancos tornava essa compra muito difícil para a classe assalariada e pessoas com renda abaixo de R$9.000.

Usando o banco estatal de confiança, criando algumas regras e direcionando o crédito para faixas limitadas de renda, facilitou assim a construção de moradias.

 

Minha Casa Minha Vida e CDHU são a mesma coisa?

Diferente do CDHU e outras modalidades semelhantes em que a pessoa se inscreve e aguarda ser chamado, o interessado em adquirir a casa própria é quem escolhe o padrão e bairro onde deseja morar.

O empreendimento e construtora precisam ter aprovação da Caixa Econômica Federal e seguir os padrões estipulados para conseguir o empréstimo que vai ser o dinheiro usado para construir os imóveis. Esse dinheiro é emprestado para você comprador, repassado para a construtora/incorporadora. É praticamente uma parceria entre banco, Governo e construtoras para facilitar as construções. Além dos padrões que a construtora deve seguir, as construções são vistoriadas por técnicos da Caixa, que só liberam o dinheiro após constatação de que a construção está evoluindo.

O Programa opera com taxas de financiamento mais vantajosas e parte dos valores do imóvel subsidiados. Desde sua criação, em 2009, o MCMV já contemplou mais de 4.390.187 famílias, auxiliando 14,4 milhões de brasileiros a realizar esse sonho. Famílias com renda mensal entre R$ 1.500,00 e R$ 9.000,00 podem escolher o imóvel de sua preferência e entrar em contato com um corretor para ter informações sobre o Programa Minha Casa Minha Vida e as vantagens de financiamento oferecidas.

 

O valor do imóvel

Outra coisa que diferencia as construções feitas mediante este Programa: os valores dos imóveis tem limite, não seguindo as regras de metro quadrado.  Em São Paulo pode chegar até R$ 240.000,00 (novos ou usados) . Em alguns casos quando se passa pouca coisa o cliente paga para a construtora a diferença, mas precisa estar aprovado pela Caixa.

Cota financiamento:
  • Até 80% – Imóvel novo – SAC ou PRICE (podendo variar)
  • Até 70% – Imóvel usado – SAC
  • Até 40% – Imóvel usado – PRICE
  • Até 80% – Imóvel Adjudicado – SAC
  • Até 80% – Imóvel Adjudicado – PRICE
Prazo:
  • Até 360 meses – Você é quem escolhe e trata com a CEF

 

Habitação de Interesse Social – HIS

Conceito

 

Habitação social ou habitação de interesse social é um tipo de habitação destinada à população cujo nível de renda dificulta ou impede o acesso à moradia através dos mecanismos normais do mercado imobiliário. Empreendimentos habitacionais de interesse social são geralmente de iniciativa pública e têm, como objetivo, reduzir o déficit da oferta de imóveis residenciais de baixo custo dotados de infra-estrutura (redes de abastecimento de água, esgotamento sanitário e energia elétrica) e acessibilidade. Alguns empreendimentos também visam à realocação de moradias irregulares ou construídas em áreas de risco.

 

 

A quem se destina o MCMV?

A famílias com renda de até 10 salários mínimos que sonham em adquirir seu primeiro imóvel. Enquadradas no Programa MCMV, as famílias poderão receber vantagens nas taxas de financiamento e até subsídios de parte do valor imóvel, de acordo com sua faixa de renda.

 

Faixas de Renda
Faixa 1Faixa 1,5Faixa 2Faixa 3
Renda até R$1.500 (Ou estipulada pela  Prefeitura do município) – Juros cobrado no financiamento é 0 (zero).
Renda entre R$1.500 até R$2.994 (Até 3 Salários mínimos vigentes) – Juros cobrado no financiamento é 5,5% a.a.
Renda entre R$2.995 até R$5.988 (Até 6 Salários mínimos vigentes) – Juros cobrado no financiamento é 6 a 7% a.a.
Renda entre R$5.989 até R$9.980 (Até 10 Salários mínimos vigentes) – Juros cobrado no financiamento é 8,16% a.a.

 

 

Quais são as condições para comprar um imóvel pelo Programa MCMV?

  • Não possuir imóvel em seu nome na cidade onde mora ou trabalha.
  • Sua renda familiar deve ser de até 10 salários mínimos. (Dependendo do empreendimento escolhido)
  • Apresentar comprovante de renda formal, informal ou combinada. (Para mais detalhes, entre em contato)
  • Apresentar documento oficial de Identificação.
  • Não pode ter nome no Serasa e afins.

Não tenho holerite, posso financiar?

Sim, mas devemos analisar cada caso para orientar o cliente quanto a declaração de renda. Autônomos, estagiários ou aposentados: Entrem em contato.

Posso usar meu FGTS para comprar um imóvel pelo Programa MCMV?

Sim, você pode utilizar seu FGTS para adquirir um imóvel com as vantagens do Programa Minha Casa Minha Vida. Necessário ter mais de 3 anos de registro em carteira. Entre em contato e saiba qual a documentação necessária.

 

Posso comprar qualquer imóvel que seja Minha Casa Minha Vida?

Não. Cada imóvel tem suas características, alguns com limitador de renda, e a sua renda familiar precisa se encaixar. Na Grande São Paulo tem várias oportunidades, em vários bairros. É necessário um corretor credenciado para fazer pré-análise de seu perfil.

 


 

Fale comigo e saiba mais. Atendo via fone e Whatsapp:
Clique no banner ou leia o código QR abaixo.

11 – 95106 1133 – Menezes consultor imobiliário

 

Veja abaixo alguns dos projetos que eu trabalho no momento. Breves lançamentos, lançamentos, em obras e prontos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compare